Firefox consegue bater e entra para o Guinness Book

Painkiller
Firefox consegue bater e entra para o Guinness Book
Votar

dday_badge_foxO objetivo da Fundação Mozilla de bater um recorde com seu novo Firefox foi cumprido com louvor: em 24 horas de downloads foram mais de 7,9 milhões de downloads, marca muito superior aos 5 milhões planejados inicialmente para estabelecer o primeiro recorde de download de um software nas primeiras 24 horas após seu lançamento.

As primeiras horas após o lançamento da versão final de Firefox 3.0 não foram fáceis para os geeks da Fundação. O servidor travou poucas horas após o início do Firefox Download Day, iniciativa anunciada há alguns meses com o objetivo de promover a idéia do recorde, e um bug deixou indisponível o software por ao menos duas horas, atrasando o lançamento das 14 horas (horário de Brasília) para 16 horas.

Os usuários que conseguiam acessar a página neste período eram remetidos para uma página com a versão 2.0.0.14 para download. Os servidores se mantiveram instáveis por todo o dia de ontem e apenas na madrugada retornaram à estabilidade. A marca de 2,9 milhões de downloads, mais de metade da meta inicial, foi atingida nas primeiras 8 horas, conforme anunciou o TG Daily. A versão anterior do Firefox teve em seu primeiro dia um total de 1,6 milhão de downloads.

Reconhecendo o lançamento da concorrência, a equipe responsável pelo desenvolvimento do Internet Explorer enviou um bolo ao quartel-general da Fundação Mozilla que carregava o logo do navegador e os dizeres “Parabéns pelo lançamento. Com amor, a equipe do IE” Clique Aqui e veja a imagem do bolo recebido.

O Brasil, um dos grandes apoiadores do Software Livre pelo mundo, apareceu na lista dos dez países que mais colaboraram com o recorde, abocanhando a oitava posição, com 179 mil downloads na frente de China (166 mil) e Turquia (67 mil). Os Estados Unidos se definiram como a principal razão para tamanha folga do recorde: com 2,5 milhões dos downloads, metade da meta inicial.

Os dados completos podem ser vistos em tinyurl.com/63c8on e descartam downloads duplicados por um mesmo usuário e, para ser mais fiel ainda, foi desconsiderado também qualquer download interrompido. A Fundação ainda havia pedido aos usuários que não utilizassem trapaças, como scripts para adulterar o resultado e transformar o recorde.

Estatísticas da firma de análise Net Applications mostraram hora a hora o resultado da adoção do novo navegador. Desde o lançamento até as horas finais do Download Day, o navegador foi o responsável por no mínimo 0,96% de todos os acessos simultâneos à Internet. Houve momentos em que chegou a3,69%, com pico de uso em 4,56%.

Embora alto para um aplicativo recém lançado, o Firefox 3.0 tem amplo espaço para crescimento. Uma análise recente da W3Schools indica que o Firefox está ganhando terreno rapidamente e hoje já contabiliza um total de 39,1% de todo mercado disponível para navegadores, perdendo do Internet Explorer, que já vem pré-instalado com o Windows e que no total soma 54,8%.

O novo Firefox ainda tem que lidar com um problema contra si. O sistema de plugins, que ele chama de “complementos”, é um dos grandes atrativos do navegador e permite uma ampla participação da comunidade. Mas alguns plugins ainda não funcionam no Firefox 3 e, por isso, muitos usuários hesitam no upgrade, Para sanar o problema, a Fundação Mozilla trabalhou junto aos desenvolvedores e conseguiu que 5 mil dos complementos mais populares já tivessem atualizados junto com o lançamento.

Um dos ausentes nesse esforço de atualização é o popular Google Browser Sync, um complemento lançado pela Google Labs em 8 de junho de 2006 que permite que usuários do Firefox sincronizem seus navegadores instalados em diferentes PCs, replicando a configuração, senhas salvas, histórico e favoritos em todos eles. Esse complemento teve seu desenvolvimento descontinuado, sob a alegação de que a equipe responsável por ele está direcionando seus esforços para outros projetos, conforme noticiou o site Life Hacker.

Mesmo com o atraso, o Firefox 3.0 é uma boa pedida para usuários que já utilizam as versões anteriores. O software está recebendo boas críticas em diversos testes por carregar páginas mais rápido que seu concorrente direto, Internet Explorer, e por seus novos recursos, entre eles a capacidade de salvar sessões de navegação ao fechar o programa e um gerenciador poderoso que integra histórico de navegação e favoritos em um mesmo balaio, permitindo busca direta nos dois através da barra de endereços.

Para o futuro próximo a Fundação Mozilla planeja ainda mais funções. A versão final não havia sequer sido lançada e os responsáveis pelo programa já planejavam mais uma atualização. A versão 3.1, prevista para o início de julho, trará ao aplicativo miniaturas para as abas, recurso de auto-complemento de texto e novas funções para o mecanismo de renderização como, por exemplo, o elemento de vídeo HTML 5 e sombreado via CSS, explicou o site Ars Technica.

A versão 3.0 do navegador está disponível em diversos idiomas, entre eles português do Brasil, para os sistemas Windows, Mac OS X e Linux. Interessados podem baixá-lo em getfirefox.com, sabendo, todavia, que a contagem para os recordes já foi encerrada.

Artigos relacionados

Temas
Tecnologia é Tudo © 2018 - Todos os direitos reservados.Desenvolvido por Alyen Studio

Send this to a friend