HP mini note 2133

Painkiller

Notebooks pequenos sempre foram objeto de desejo desde a época que ainda eram chamados de laptops. Casualmente a mudança de nome veio por causa da redução do tamanho. Mas a cada geração a história se repete. Notebooks mais rápidos e poderosos e na outra ponta da linha de produtos do fabricante os equipamentos de tamanho diminuto, mas a preços mais elevados, custo da “miniaturização”. Mas há algum tempo isso começou a mudar.

Quando a ASUS introduziu o Eee PC alguns paradigmas foram quebrados. Foi possível oferecer um notebook de tamanho bem menor que o habitual e com preço também pequeno, isso tudo devido a um equilíbrio diferente do trinômio preço, tamanho e desempenho. Depois da ASUS outros fabricantes também descobriram este novo nicho de mercado de notebooks. A HP, um tradicional fabricante não ficaria de fora. Mas a HP deu seu toque pessoal nesta nova categoria de produtos. Conhecida por produtos também inovadores trouxe para o Brasil o HP 2133. Este mini-note PC fora desenvolvido inicialmente para o mercado educacional e evoluiu para um equipamento direcionado à ultra mobilidade e uso empresarial, mas sem perder algumas características mais sofisticadas.

hp2133 4.thumbnail - HP mini note 2133

HP 2133 aberto

hp2133 aberto.thumbnail - HP mini note 2133

HP 2133 mini note

O HP 2133 pesa apenas 1,3 Kg e espessura de pouco mais de uma polegada (27 mm). O design é agradável. Tem acabamento em alumínio escovado e um teclado surpreendente. Quando comparado com notebooks “grandes” (com telas de 15 polegadas) suas teclas são pelo menos do mesmo tamanho. Isso faz uma diferença muito grande no conforto percebido ao usá-lo. Os mini notebooks ao contrário do 2133 têm teclados diminutos que trazem consigo uma difícil necessidade de adaptação e mesmo assim não têm a produtividade de um teclado “normal”. Este é um dos pontos fortes do 2133. Segundo a HP as teclas são protegidas por uma camada especial (Durakey) para que não haja desbotamento das mesmas.

hp2133 mini note.thumbnail - HP mini note 2133

Detalhe do teclado do HP 2133

Por visar um mercado de ultra mobilidade há alguns “mimos” com o webcam integrada resolução VGA (opcional) e um sistema de proteção ao HD chamado 3DGuard que desliga e paralisa a rotação do disco rígido quando um acelerômetro digital de atuante nos três eixos detecta um movimento muito brusco ou um golpe. As dobradiças da tela são de magnésio (para serem pequenas e resistentes) e traz além de Wi-fi a conectividade Bluetooth.

Especificações gerais

Processador VIA C7-M 1.6 ghz (monocore)
Disco rígido 120 Gbytes
Memória RAM : 1 Gbyte
Monitor de 8.9 polegadas WXGA (1280x 768)
Vídeo Via Chrome9 HC IGMP WDDM
2 entradas USB
Conector VGA externo (para apresentações)
Rede Gigabit Ethernet
Wi-FI 802.11g (54 Mb/s)
Bluetooth

Sem CD ou DVD por causa do tamanho – dá para usar um externo USB

Avaliando o mini-note no dia a dia

A HP me emprestou o 2133 por duas semanas e pude usá-lo além do teste rápido. Eu já tinha participado de um “press-clinic” com esta máquina, motivo pelo qual me interessei por ela. Nesta ocasião vi que era um projeto diferenciado, elegante e que deixou ruborizado um diminuto Eee PC que fora trazido por outro jornalista. Mas como ele se saiu nos testes?

Ressalto que a avaliação feita por mim se baseou no uso de diversos programas que julgo típico para o portador de um note desta categoria. Eu também me permiti usar dois programas de testes sintéticos apenas para ter uma referência pessoal. Não defendo nem afirmo que testes sintéticos são os melhores instrumentos para avaliação. Foram apenas programas a mais.

A máquina estava com o Office 2007 instalado (versão demo) que permitiu estressar o uso dos recursos de escritório. Judiei do pequeno. Carreguei e manipulei planilhas imensas. Um livro inteiro no Word (380 páginas) e apresentações de PowerPoint bem grandes e pesadas. Claro que um PC de última geração responde um pouco mais rapidamente, mas pensando no modelo de uso deste PC, mesmo levando-o ao limite, seu comportamento foi além do esperado. Vídeos do Youtube e media player rodam perfeitamente, sem “tropeços”, fluindo de forma contínua como esperado.

Eu já tinha lido alguma coisa na mídia sobre o mini-note e curiosamente duas ou três avaliações resumidamente concluíam : “equipamento com desempenho adequado mas não vá querer editar imagens pesadas nele”. Fui um pouco além. Instalei o software gratuito PAINT.NET (excelente editor de imagens e fotos para o dia a dia – eu o utilizo para manipular todas as imagens dos artigos que escrevo) e o utilizei para editar algumas fotos tiradas do próprio mini-note na resolução de 8.0 mega pixels. Sem problema algum!! Sinto que ele é mais lento, claro, mas é possível usá-lo até para isso. Eu me atrevo a corrigir a frase, pelo menos na minha interpretação : “equipamento com desempenho adequado, permite até editar fotos grandes, mas não vá querer editar vídeos pesados nele”. Foto ainda vai bem, vídeo não dá!

Os testes sintéticos que fiz (já expliquei o porquê) foram o SUPERPI e o 3DMARK03 mostraram que o processador VIA C7-M 1.6 Ghz e o sistema de vídeo (Vídeo Via Chrome9 HC IGMP WDDM ) são realmente mais lentos que notebooks mais avantajados no tamanho:

SuperPI – 1 milhão de casas decimais : 5min e 29 segundos (329 segundos)
3DMARK03 : 356

Índices de Desempenho do Vista :
– Processador : 2.0
– Acesso à memória : 3.9
– Elementos Gráficos : 3.1
– Gráficos para jogos : 2.5
– Velocidade do disco rígido primário : 5.1

Se eu tivesse começado a minha avaliação por estes testes eu teria ficado bastante decepcionado e talvez nem levasse adiante o resto do teste. Isso mostra como o “uso efetivo”, real, do dia a dia é um teste bem melhor. Eu me rendo às críticas dos leitores que condenam estes testes sintéticos, mas eu os continuo usando por ser uma referência a mais. Tenho um notebook com processador Core Duo de 1.6 Ghz (T2300 dual core) e com certeza ele não é 10 vezes mais rápido que o VIA C7, resultado comparativo apenas do SuperPi. O VIA é mais lento, é fato, mas não nesta proporção. O valor do 3DMARK03 é muito baixo que evidencia o que é óbvio. Não pense em jogos muito mais sofisticados que PACIÊNCIA ou CAMPO MINADO neste PC. Afinal ele não foi projetado para jogos e sim cenários de mobilidade corporativa.

hp2133 ulti.thumbnail - HP mini note 2133

Visão frontal do HP 2133

E funcionando sob baterias?

Tinha imensa curiosidade, afinal esta máquina visa ultra mobilidade, uso desconectado por algum tempo das tomadas de energia. A versão que testei veio com uma bateria de 3 células, que favorece muito a redução de peso do 2133 mas nem tanto a autonomia. Um dos meus testes foi feito usando o 2133 como um “bloco de anotações” em uma reunião que participei (um dos usos típicos desta máquina). Ora digitava uma ou duas linhas, não escrevia nada por vários minutos. De vez em quando salvava o documento (anotações feitas no Word). Uma ou outra vez (poucas) o mini-note chegou a desligar seu monitor. Durante este teste ele não chegou a entrar em “espera” nem em “hibernação”. O resultado foi 1h e 48 minutos (108 minutos). Em regime de uso mais intenso, escrevendo um texto (o artigo do QNAP publicado na semana passada), baixando e-mails e ouvindo músicas no media player de forma contínua, sua bateria durou 1 hora e 10 minutos (70 minutos).

Ainda usando sob baterias cabe aqui um importante comentário. Desconectado da tomada a velocidade do processador cai à metade, ou seja, 800 Mhz, visando economia. Nesta situação de velocidade reduzida algumas operações não são tão boas. O vídeo do Youtube continua a reproduzir bem, mas o vídeo MPEG2 de 640×480 30 frames por segundo ao ser executado apresentou alguns “engasgos”. Manipular arquivos PowerPoint e PDFs propositalmente muito pesados ficou sensivelmente mais moroso. Lembro que estes mesmos arquivos foram bem no teste do 2133 quando ligado à tomada e que são realmente muito grandes, usados para estressar bastante o equipamento, que parece consegui fazer.

Visão geral – conclusão

Este mini-note traz inovações sensíveis e de grande destaque. O teclado, por exemplo, eu adorei, pelo tamanho e pelo toque que me faz esquecer estar usando uma máquina de pouco mais de um quilo. O touchpad é estreito e exige ambientação. Ele esquenta um pouco em sua parte inferior, fruto do sistema de refrigeração passivo (sem ventoinhas). Estranhei um pouco, mas não incomoda. O tamanho e a clareza da tela é algo a se destacar. Mesmo usando resolução 1280×768 a visibilidade e legibilidade são boas. Eu só fiquei pensando ao olhar a tela em si que sobram alguns bons centímetros ali que poderiam ter sido usados para um LCD maior. Mas em projetos assim as decisões são difíceis. Ali fica a caixa de som, nos dois lados da tela. Além disso, uma tela maior traria consigo um consumo mais elevado de energia.

Quanto à autonomia da bateria do 2133, eu esperava mais. Não testei o produto com a versão de baterias com 6 células. Talvez um assim tenha um “rabicho” a mais em seu design para acomodar uma versão mais avantajada e valha a pena para quem vai usar de fato muito tempo desconectado. A velocidade do mini-note é compatível com a sua proposta. Sabendo que ele custa R$ 1.499,00 é um preço acima do pioneiro ASUS Eee PC, o qual entrega muito menos recursos. E não tão longe do preço de um notebook básico. A miniaturização ainda tem um “prêmio” a ser pago. Nem é justo comparar com o Eee PC. HD de 120 Gb contra alguns Gigabytes do ASUS (recentemente lançaram modelos maiores com HDs mais avantajados). Sistema operacional Vista, perfeitamente azeitado e rodando bem na máquina, uma tela maior… Claramente são produtos de categorias distintas. Não é correto comparar. A HP criou um nicho novo de mercado com este equipamento. Não é um notebook tradicional nem é da categoria do Eee PC.

Suas características técnicas são bem apropriadas ao tipo de uso que se espera dele. Um executivo que quer fazer uma apresentação e retocá-la antes mais um pouco. Ler e-mails via Wi-Fi, produção de textos, consulta e manipulação de planilhas… Enfim um PC pequenino “metido a grandão”, mas que deve ser usado dessa forma. Com automóveis é parecido. Não se compra uma perua Toyota Fielder para carregar a mudança de uma casa, seu uso tem que ser apropriado ao seu projeto como passear no final de semana com a família e viagens agradáveis. Levar um time de futebol no carro ou a mudança da família como eu citei não são o modelo de uso do carro citado. O 2133 deixou a imensa boa impressão da robustez e projeto muito bem feito. Materiais muito bem usados e escolhidos. Teclado ótimo, acima da expectativa. Um bom uso no dia a dia como o segundo note, usado para situações onde economizar espaço e peso são fundamentais. Não gostei da autonomia da bateria, que para um executivo fazer uma apresentação é suficiente, mas esperava mais. Uma bateria de 6 células, se não fizer destoar muito a boa aparência, seria a minha opção para usar esta máquina no dia a dia. Ou quem sabe ter as duas baterias, uma para situações normais e outra maior para emergências.

[easy-social-share buttons="facebook,twitter,google,pinterest,print,mail,love" counters=1 counter_pos="insidebeforename" style="button" point_type="simple" url="https://www.tecnologiaetudo.com/computador/netbook-computador/hp-mini-note-2133/" text="HP mini note 2133"]

Artigos relacionados

Temas
Tecnologia é Tudo © 2020 - Todos os direitos reservados.Desenvolvido por Alyen Studio